Seminário de Meio Ambiente debate arborização urbana durante o 2º Concasan

2º Congresso de Saneamento recebe palestrantes de seis países de 6 a 8 de junho em Florianópolis. Evento debate as soluções para o desenvolvimento sustentável das cidades

 

Iniciou no dia 6.06 o Congresso Catarinense de Saneamento (Concasan) que chega à segunda edição como um dos principais da área no Brasil e transforma Florianópolis na capital brasileira do saneamento e no principal palco de debate de temas ligados à água e ao esgoto. Realizado até esta sexta, 8.06 no Centro de Eventos Luiz Henrique da Silveira, em Canasvieiras, o Congresso tem a presença de nomes da cena mundial em pesquisa e implementação de projetos do setor e de desenvolvimento sustentável. A 1º Vice-Presidente: Eng. Sanit. Amb. e Civil Roberta Maas dos Anjos e o Coordenador da APEC – Assessoria de Apoio as Entidades de Classe, Eng. Mecânico Wilson Cesar Floriani representaram o CREA-SC na solenidade de abertura e receberam no stand do Conselho o Governador Eduardo Pinho Moreira e o Prefeito Gean Loureiro, entre outras autoridades.

O Concasan é organizado pelo SENGE-SC – Sindicato dos Engenheiros no Estado de Santa Catarina e Casan, com patrocínio do Governo de Santa Catarina, Jurerê Internacional, CREA-SC e da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE). Tem apoio da Prefeitura Municipal da Florianópolis, Associação Brasileira de Engenharia Sanitária (ABES), FIESC, Instituto Lixo Zero Brasil e Cosatel.

A programação conta com especialistas da Dinamarca, Estados Unidos, Inglaterra e Portugal, além de pesquisadores considerados referência no Brasil que vão debater ideias e ações práticas sobre o tema “Como Serão as Cidades do Amanhã?”.

Veja aqui todas as informações sobre o evento.

 

 

6º Seminário de Meio Ambiente do CREA-SC debate Arborização Urbana

 

Um dos destaques do Concasan é a realização do 6º Seminário de Meio Ambiente, que iniciou nessa sexta às 14 horas. O evento é promovido pelo CREA-SC e organizado pela Comissão de Meio Ambiente do Conselho e debate sobre “A Interferência da Arborização Urbana na Infraestrutura”. Os palestrantes são a Eng. Ftal Maria Rosa Cé e o Eng. Ftal Flávio Telles.

 

Atualmente milhares de pessoas com deficiência precisam circular em calçadas e parques acessíveis. No entanto, todos os dias, inúmeras obras são executadas e concluídas sem as devidas adequações de acessibilidade.

As palestras falam sobre a aplicação do desenho universal em áreas específicas de vias urbanas, parques e jardins, sendo o plantio de árvores primordial para o sucesso do empreendimento e adequação da legislação em vigor.


A arborização urbana, além do aspecto paisagístico facilmente percebido, tem também a função de garantir uma melhora na qualidade de vida garantindo proteção contra ventos, sombreamento, diminuição da poluição sonora, absorção da poluição atmosférica e conforto térmico. 

 
A arborização deve fazer parte do plano diretor das cidades. No seminário foram citados exemplos de munícipios brasileiros que possuem planos diretores de arborização urbana (PDAU).
 
 
“Esses planos devem estar integrados aos outros sistemas. É fácil perceber interferências nos seus plantios. A escolha do tipo de árvores, o cuidado com a poda no momento de uma construção/ obra, o cuidado da compatibilização de planos e projetos, principalmente com os planos de mobilidade e acessibilidade urbana são primordiais”, esclareceu a primeira palestrante, engenheira Maria Rosa.

 

 

 

 

Concasan – Na abertura do Concasan, a portuguesa Sofia Carneiro, do Gabinete Municipal de Meio Ambiente da cidade de Lisboa, apresentou os princípios para as Water Wise Cities – Cidades Conscientes na Gestão da Água. Responsável pela implementação do programa da International Water Association (IWA) na capital portuguesa, Sofia compartilhará as ações que a cidade europeia está desenvolvendo para tornar a gestão da água sustentável.

A questão do lixo também ganha atenção com uma plenária exclusiva sobre Lixo Zero, no encerramento, dia 8.

— Toda a cidade enfrenta problemas relacionados à gestão de resíduos. Já existem iniciativas para reduzir esse volume, afinal, quanto mais se gera lixo, maior o problema para fazer o manejo. Esse é o ponto comum e urgente em muitas cidades catarinenses e o desafio é como se transformar e seguir diretrizes para que nossos as cidades tenham um parâmetro Lixo Zero — diz o engenheiro sanitarista e ambiental Lucas Arruda, um dos organizadores do Congresso.

Paralelo ao Congresso será realizado o 9º Encontro Técnico da Casan, com trabalhos desenvolvidos pelos funcionários da Companhia Catarinense e da Corsan, Sabesp, Sanepar e outras empresas do setor. Haverá espaço também para apresentação de palestras dos expositores e apoiadores da Feira de Saneamento, que ocorre em paralelo e terá mais de 15 estandes.

No total, serão mais de 30 horas de compartilhamento de experiências sobre saneamento, focado em tratamento de água e de esgoto, regulação, gestão, gerenciamento de recursos hídricos, eficiência energética, meio ambiente e novas oportunidades.

— Duas ou três décadas atrás, tinha-se a impressão de que problemas relacionados à água e saúde ocorriam em locais remotos, como o Centro da África ou o interior do Nordeste. Hoje percebemos que as maiores adversidades estão nas cidades, em especial nas maiores — reforça o engenheiro químico Alexandre Trevisan, conselheiro do CREA-SC e também da comissão organizadora.

 

Temas urgentes para Santa Catarina

 

Efluentes tratados e controle da poluição

Entre os destaques da programação está a participação da engenheira norte-americana Sandy Scott-Roberts. Ela é responsável pela ampliação do Ground Water Replanishment System (GWRS), o Sistema de Recarga de Águas Subterrâneas de Orange County, Califórnia – EUA. O GWRS é um caso de sucesso de recuperação de um aquífero costeiro, que abastece milhões de pessoas, com a utilização de esgotos tratados. Lá, o esgoto tratado das cidades é reintroduzido no solo para melhorar a qualidade da água, além de permitir que esse efluente seja disponibilizado como água potável para a população.

Também é destaque a palestra do principal autor brasileiro sobre Tratamento de Esgotos, Marcos Von Sperling. O professor Carlos Arias, da Universidade de Aarhus (Dinamarca) também participa apresentando suas experiências em diversos projetos e pesquisas ao redor do mundo para controle da poluição com o tratamento dos esgotos.

 

Controle e redução de perdas de água

A última crise hídrica em São Paulo mostrou que ações para o controle de perdas dos sistemas de água foram fundamentais para que os danos não fossem maiores. Nesse sentido, ainda há muito a evoluir no Brasil em relação à melhoria de eficiência dos sistemas instalados. Na quinta, dia 7, uma plenária especial assinada pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária (ABES) terá o consultor Mario Baggio, ex-diretor da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) e o engenheiro pernambucano Adalberto Cavacanti (Consultor do Banco Mundial) irão debater as estratégias para melhoria dos indicadores nacionais evitando o desperdício da água produzida e reduzindo a necessidade de busca por novos mananciais.

 

Lixo Zero

Tema urgente em todo mundo, a questão do lixo também será discutida no Concasan na última plenária, assinada pelo Instituto Lixo Zero. A ideia é tratar da construção do conceito de uma cidade sustentável na gestão dos resíduos. O tema será conduzido pelo fundador da Zero Waste International Alliance, Rick Anthony (EUA). Com mais de 40 anos de experiência em esforços ambientais, Anthony irá propor ações para aprimorar e expandir a sustentabilidade de nossas cidades. Também participa Mal Williams (Reino Unido), ativista em todo mundo e atual diretor executivo do The Zero Waste International Trust.

 

Conferência Municipal de Saneamento de Florianópolis

O Concasan também será o palco da plenária final da 2ª Conferência Municipal de Saneamento de Florianópolis, que vem sendo realizada ao longo dos últimos meses. Durante o Congresso ocorre o encerramento da Conferência, quando serão votadas as proposições para melhorias nas políticas municipais de saneamento. Um momento de interação entre a visão técnica e a expectativa da sociedade em relação a este importante serviço.

 

Programação CONCASAN

 

Quarta, dia 6
9:00 às 14:00: credenciamento
14:00 às 15:00: Solenidade de Abertura (Governador do Estado, Prefeito de Florianópolis, Presidente da CASAN e demais autoridades)
15:00 às 15:30 Abertura da Feira
15:30 às 17:00: Palestra Magna: WATER WISE CITIES – Princípios para cidades conscientes na gestão da água, o caso de Lisboa. Sofia Cordeiro, do Gabinete de Meio Ambiente da cidade de Lisboa
18:00 – 21:00: Conferência Municipal de Saneamento de Florianópolis

Quinta, dia 7
08:30 – 10:30: Sessões Técnicas
10:30 – 12h00: Plenária sobre Gestão e Recarga de Aquíferos, com Gustavo Athayde (UFPR – Brasil), Nilson Guiguer (UFSC – Brasil) e Sandy Scott-Roberts (OCWD – California, EUA)
14:00 – 16:30: Sessões Técnicas
16:30 – 18:00: Painel ABES: Controle e redução de perda da água, com Adalberto Cavalcanti Coelho (COMPESA-PE – Brasil), Mário Baggio (Water Database – Brasil)

Sexta, dia 8
08:30 – 10:30: Sessões Técnicas
10:30 – 12h00: Plenária sobre Novas abordagens sobre tratamento de esgoto, com Marcos Von Sperling (UFMG – Brasil) e Carlos Arias (Aahrus University, Dinamarca).
14:00 – 16:30: Sessões Técnicas
14h 6º seminário de Meio Ambiente do CREA-SC: A Interferência da Arborização Urbana na Infraestrutura”, com a Eng. Ftal Maria Rosa Cé e com o Eng. Ftal Flávio Telles.
16:30 – 18:00: Construindo uma cidade Lixo Zero, com Richard Anthony (EUA), fundador da Zero Waste International Alliance,  e Mal Willians (Reino Unido),  diretor executivo do The Zero Waste International Trust.


 

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.