Fenemi debate uso de ar condicionado durante a pandemia

A Fenemi continua preocupada com o retorno às atividades após a pandemia, promovendo eventos sobre a renovação de ar, segundo o presidente Marco Aurélio Braga

 

O reconhecimento pela Anvisa das atividades relacionadas à manutenção de ar condicionado como essenciais, em meados do período de isolamento decorrente da pandemia de Coronavírus, foi uma boa iniciativa, mas insuficiente, na visão do presidente da Federação Nacional de Engenharia Mecânica e Industrial (Fenemi), eng. mec. Marco Aurélio Cândia Braga. “Foi bom, há a percepção do aumento desses serviços, mas a nossa atuação poderia ter sido ainda melhor”, aponta, ressaltando a necessidade de que fossem adotadas medidas mais efetivas em todo o país. Para ele, os danos à sociedade já podem estar presentes.

O tema será debatido em quatro eventos a serem realizados pela entidade em 8 e 29 de outubro e em 5 e 10 de novembro, respectivamente, em Canoas-RS, Rio de Janeiro, Campo Grande e Brasília. “Também debateremos esse tema durante o Congresso Internacional de Engenharia Mecânica e Industrial – Conemi”, ressalta, informando que o evento se dará de forma virtual, de 11 a 13 de novembro, contando com a participação de lideranças da Associação Americana de Engenheiros de Aquecimento, Refrigeração e Ar Condicionado – Ashrae.

Segundo ele, a Vigilância Sanitária entendeu as dificuldades a que o país estava exposto e colocou a manutenção de ar condicionado como dado de emergência para poder promover a volta ao trabalho durante a pandemia. “Trabalhamos barbaridade e conseguimos mudar a visão. Foi por causa disso que muitos hospitais conseguiram funcionar com um pouco mais de segurança. Nós percebemos que houve um aumento, mas não está comprovado”, diz Marco Aurélio.

Para ele, a principal recomendação seria o cumprimento contínuo da Lei 13.589 /2018. “Temos as leis e resoluções, sobretudo a Resolução 9, da Anvisa, mas só que não dão o devido valor.  Só isso já seria suficiente. Por isso, consideramos que os resultados da medida emergencial foram bons, mas poderiam ter sido bem melhores”, considera.

 

Evento da Fenemi em Canoas

A Fenemi promoverá em outubro e novembro eventos sobre a renovação do ar. O primeiro será em Canoas (RS)

O presidente da Fenemi destaca que a lei prevê a manutenção de instalações e equipamentos de sistemas de climatização de ambientes. “Todos os edifícios de uso público e coletivo que possuem ambientes de ar interior climatizado artificialmente devem dispor de um Plano de Manutenção, Operação e Controle – PMOC dos respectivos sistemas de climatização, visando à eliminação ou minimização de riscos potenciais à saúde dos ocupantes”, diz o artigo primeiro, sendo complementada pelo parágrafo primeiro: “Esta Lei também se aplica aos ambientes climatizados de uso restrito, tais como aqueles dos processos produtivos, laboratoriais, hospitalares e outros, que deverão obedecer a regulamentos específicos”.

 

Medidas adequadas

“Nossa recomendação é que, antes do retorno às atividades nos ambientes climatizado, seja feita uma rigorosa revisão de todos os equipamentos, a fim de que as impurezas sejam removidas dos sistemas antes do início de suas operações. A avaliação da qualidade do ar por laboratórios especializados também é muito importante para poder validar e assegurar o asseio e a higienização dos sistemas”, complementa.

Outra medida adequada é dar atenção especial à renovação de ar. Desde a devida instalação à manutenção. “Deve-se dar atenção especial para a renovação de ar. É preciso diluir e remover poluentes. Isso resulta na diminuição de riscos de contaminação para uma série de doenças transmissíveis pelo ar, inclusive virais, segundo parâmetros do PMOC e da resolução 9 da Anvisa, definindo parâmetros e níveis máximos de concentração de poluentes, níveis aceitáveis de temperatura e umidade”, comenta.

 

Ocupação e instalações

Marco Aurélio acrescenta que realização de eventos em Canoas, Rio de Janeiro, Campo Grande e Brasília contribuirá para apresentar a importância dessa situação. “Queremos informar a sociedade como está acontecendo essa passagem, nesse momento”, diz, descrevendo que os eventos serão um bom exemplo de como essas iniciativas deveriam ser realizadas até que a situação se normalize definitivamente.

“Será um evento presencial e on-line. Só no Rio, já temos 330 inscritos, mas deveremos ocupar sempre um terço do auditório apenas, ocupando um lugar e deixando dois vazios, com excelente a renovação do ar condicionado e descontaminação do ambiente antes do evento e no intervalo do almoço”.

Segundo o presidente da Fenemi, a instalação de um sistema de ar-condicionado varia conforme o espaço. “Mas o consenso é a necessidade de uma tomada de ar exterior para renovação com uma taxa de renovação de ar de 27 metros cúbicos por hora por pessoa. Mesmo em sistemas do tipo ‘split’, um sistema de renovação de ar com caixas de ventilação e filtragem adequada deve ser previsto”.

 

Live Engenheiros de Tênis

Live Engenheiros de Tênis será na próxima quinta (24), em promoção da Fenemi

Esporte

A Federação Nacional de Engenharia Mecânica e Industrial promoverá na próxima quinta-feira (24), às 19h, uma live denominada Engenheiros de Tênis. “Com essa pandemia, resolvemos promover pela primeira vez esse encontro, mostrando como os engenheiros estão lidando com a epidemia, incentivando também a prática de esportes, uma preocupação que sempre foi constante na Fenemi”, diz Marco Aurélio.

 

Equipe de Comunicação do Confea